sexta-feira, outubro 16, 2015

APAIXONE-SE POR UM CARA QUE COZINHA


Sou um zero à esquerda na arte da cozinha.

No máximo, brinco com uns doces, um frango assado, um miojo de emergência.

Haja sódio, açúcar e outros temperos não tão saudáveis quanto deveriam ser.

Talvez, por isso, eu me encante tanto com alguém que cozinha pra você.

Cozinhar é tecer com delicadeza um pedido pra outra pessoa saborear a tua pele, é como um beijo regado a molhos e aromas, daqueles marcantes.

Alguém cozinha, você leva o vinho, e discutem se o som da sala está bom enquanto tudo acontece na cozinha.

Cozinhar é desnudar a alma e dizer pra alguém tudo aquilo que a gente gosta de escutar, tudo o que a gente gosta de ler, tudo o que a gente aprendeu por aí. Mostra um pouco da personalidade nas decisões: se te salgam demais, é sinal de que falta equilíbrio nas doses homeopáticas de vida; se te deixam insossa demais, talvez você tenha escolhido alguém que só pretendia cozinhar um romance pra dois.

Nesse último caso, os pratos nem sempre ficam bonitos à mesa.

Cozinhar possui um charme que eu sempre achei emocionante.

Requer afeto e dedicação, requer que a gente realmente queira agradar o paladar de alguém pra lidar com os ingredientes, as temperaturas, as horas certas de agir e finalizar os pratos.

A escolha do menu é um salto no escuro de quem quer surpreender ou de quem já conhece a gente como conhece o ponto do molho.

Pra essa gente que põe a mesa com um sorriso no rosto e nos convida a adentrar sua intimidade, talheres são completamente desnecessários: comemos com as mãos, com os olhos, com os lábios, com todas as partes do corpo.

Cozinhar é mais íntimo que tirar as roupas na frente de alguém.

Acho que o ato de se dedicar a fazer algo com as próprias mãos, tendo talento ou não, pra agradar alguém que a gente gosta é o que me chama mais atenção.

Não precisa ser necessariamente cozinhar, mas escrever, pintar, tocar violão ou qualquer uma dessas coisas que são especiais, justamente porque nascem de alguém pra outra pessoa com o intuito de se fazer algo de diferente, é que me encantam.

Me encantam os gestos e a forma como isso tudo inspira cuidado, carinho e afeto.

Não, isso não foi uma tentativa de puxar sardinha pro meu lado, mas um daqueles textos feitos pra gente ver além de uma ação: quem cozinha e põe a mesa, convida a gente a sentir o amor no paladar.

Quem canta, quem dança, quem escreve um poema, quem desenha, quem brinca com tinta guache e quem faz brigadeiro encontra outras formas de demonstrar o que a gente chama de amor.

Por isso, se eu puder dar um único conselho, seria: apaixone-se por alguém assim.


SUPERELA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...