terça-feira, agosto 19, 2014

Gordura, balança, dietas e o amor


Instrumento criado pelo demônio! hahahah

Estou gorda! Certamente todo homem já ouviu uma mulher falar isso e toda mulher já falou.

No entanto cheguei numa conclusão, a sensação de estar gorda não tem nada a ver com o peso ou a aparência real.

Gordas ou magras, todas as mulheres, absolutamente todas, sofrem de tempos em tempos de um delírio visual que as impede de perceber a realidade dos fatos.

A sensação de beleza passa por duas instâncias, a aparência em si em confluência com os padrões estéticos e a sensação de bem-estar pessoal.

Quanto ao padrão estético não há o que falar imperam as magras esqueléticas ao lado das gostosonas tipo panicat.

No entanto, existe um mar de mulheres que não se enquadra nesse estereótipo.

Mais espantoso ainda é que atendendo mulheres com corpo digno de panicat ou modelos magrinhas ouvia a mesma coisa: “estou gorda, doutor!”

Conclusão, o bem-estar com a aparência tem mais conexão com um estado percebido do que o espelho.

Principalmente no caso da mulher a sensação de beleza está intimamente ligada com o sentimento de expansão e abertura emocional.

O que faz uma mulher se sentir aberta emocionalmente? A sensação de ser admirada, desejada e amada.

Isso quer dizer que uma mulher que diz que está se sentindo feia ou gorda na verdade está dizendo: “não estou sendo amada, olhada ou admirada com olhos especiais”.

Mulher apaixonada sempre se sente bonita e leve. Pode estar descabelada que se o homem olha ela com ímpeto e voracidade ela se desmancha em tesão, felicidade e beleza.

Quando uma mulher se queixa que está feia o homem tem uma postura tola: ele responde falando. Se falar que ela está linda, não convencerá, pois ela está falando de amor concreto. Se disser que ela está gorda mesmo irá ofender e contribuir pouco para o sentimento de amor fluir.

Ela quer ser tomada e que você a penetre com seu amor masculino.

O gosto dela por si mesma passa por um olhar que provavelmente está escasso.

Quebrar com a insegurança de uma mulher, só com ação intensa. Ela precisa sentir aquele ardor dos primeiros dias de paixão intensa.

Acho até mais econômico do que tentar convencê-las disso ou daquilo. Ela precisa sentir você provando e comprovando o que diz na prática.

“Estou gorda, amor!”. Olhe ela firmemente nos olhos e arranque um beijo apaixonado. Isso basta!

Vale a pena ver esse filme!



SOBRE A VIDA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...