sexta-feira, julho 05, 2013

Raiz redonda


Crocante e com uma picância característica, o rabanete é figurinha fácil em saladas mundo afora.

Mas ele bem que merece ser mais do que um coadjuvante no bufê de pratos frios.

De acordo com a pesquisadora Milza Lana Moreira, da Embrapa Hortaliças, essa raiz é consumida desde a Antiguidade,em países como Grécia e Egito.

Natural da região do Mediterrâneo, adaptou-se melhor, no Brasil, nas Regiões Sul e Sudeste.

Nos meses em que o calor abranda, é possível encontrar exemplares mais saborosos e frescos nas feiras.

O rabanete pertence à família das crucíferas, a mesma de hortaliças como couve-flor e brócolis.

“Tem propriedades diuréticas e possui muita vitamina C, além de ser uma boa fonte de fibras e minerais”, explica a nutricionista Fabiana Poltronieri, docente do Centro Universitário São Camilo.

A vitamina C, por sinal, é uma das responsáveis pelo sabor picante do rabanete, também provocado pela presença de outros ácidos orgânicos.

Com nada de gordura e 15 calorias a cada 100 gramas, ele é ideal para dietas desintoxicantes: contribui para a eliminação de toxinas pelo fígado e combate o surgimento de células cancerosas, por ser rico em glicosinolatos. 

Outra substância presente é o enxofre – daí o cheiro forte de conservas feitas como ingrediente.

O enxofre também propicia aformação de gasesno organismo, portanto, quem sofre com problemas relacionados a flatulência deve ingerir esse vegetal com moderação.

Outra ressalva: o rabanete contém salicilatos, que podem estimular reações adversas em pessoas alérgicas a aspirina e outros medicamentos com ácido acetilsalicílico na fórmula.

Na Europa, onde é mais prestigiado, o rabanete não se restringe às saladas. Entra em lanches, com pão, manteiga e sal; aparece em cozidos, assados e até glaceado com açúcar e pimenta.

As folhas desse vegetal também podem ser aproveitadas, depois de bem higienizadas.

CASA E JARDIM

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...