domingo, abril 23, 2017

Eternize pela verdade e amor.


Encante pela sutileza e delicadeza. 

Aproxime pela fidelidade e dedicação. 

Fidelize pela humildade e transparência. 

Eternize pela verdade e amor.


Nicoli Miranda

sábado, abril 22, 2017

Sua casa se (re)veste de tranqueira?



É muito fácil saber se estamos num ambiente que combina com nossas determinações internas. 


Basta olhar e questionar :

" EU SOU ISSO QUE A MINHA CASA ME REPRESENTA ?"


Um dos principais problemas é a eliminação. 


Muitas pessoas querem que o novo entre, mas não se desapegam do que já têm. 

O termo quarto de bagunça significa " AMBIENTE IMOBILIZADO POR ENERGIA ESTAGNADA"


Se você tem coisas que não precisa como pode querer aquilo que deveria fazer por merecer?


A sua casa é VOCÊ!



|Cláudia Dornelles

quarta-feira, março 08, 2017

Elegante é ter um compromisso em tratar humanamente quem priva da sua intimidade


 
Elegante é ter um compromisso em tratar humanamente quem priva da sua intimidade, passa, lava suas roupas e conhece o segredo dos seus lençóis.

Elegante é ouvir música em tom que não aborreça o vizinho.

Elegante é responder seus emails e mensagens nem que seja para dizer "ciente, obrigada ".

Elegante é não prometer nada o que não pode cumprir.

Elegante é, em vez de promessa, assinalar compromisso com uma pessoa ou uma causa.

Elegante é respeitar o Deus dos outros, mesmo achando que "ele" não é bem o seu perfil.

Elegante é não guardar restinhos na geladeira, como forma de não se liberar do que passou.

Elegante é não precisar azedar para ter de jogar fora.

Elegante, principalmente, é não fazer da vida uma geladeira repleta de sobras de ontem e querer, apesar de tudo, ser considerada chique e elegante.

Chique pode ser.

Elegante jamais.

Cláudia Dornelles

Mulher...




Mulher,

Condição que nos coloca numa balança frequente de precisão.

Ternas, rígidas, mães, irmãs, santas, bruxas, indignadas, resignadas ou destemperadas, sempre estamos em busca de uma resposta para à pergunta que mais nos compete : para qual Obra nos propomos?

Diariamente trocamos de roupa emocional, mesmo que não percebamos.

Em nós moram nossas divas, nossas donas de casa, nossas profissionais aguerridas, nossas amantes nem sempre correspondidas.

Mas não negamos afeto.

Vamos em frente e lutamos por nós e pelos nossos afetos.

Afetadas que somos, não nos damos guarida.

Estamos sempre de sentinela.

Simplesmente não fugimos de querelas.

Somos de paz, mas enfrentamos guerras ancestrais. Apenas e simplesmente para sermos mulheres em construção, tijolos sem infiltração, telhado de bom acolhimento e chão firme sem nenhum tipo de medo ou lamento.

A todas nós, desejo um mundo de muito mais acolhimento.


[ Cláudia Dornelles ]

quinta-feira, março 02, 2017

Viciados em reclamar

Não sou especialista, mas tenho pra mim que a reclamação pode virar doença. Gente que resmunga, critica e só vê pontos negativos deve sofrer de algum distúrbio. Eu chamo isso de “viciados em reclamar”.

Para alguns, o silêncio é tão ensurdecedor que preferem preencher esse espaço com comentários críticos. Fazem questão de deixar muito claro o quanto estão cansados, o quanto o dia está quente e o quanto terão que trabalhar essa semana. Pra quem ouve, é como rasgar os tímpanos. Não há utilidade nas reclamações banais, a não ser enfadar o ouvinte. E para quem reclama, é claro, sobra mais e mais insatisfação.

Não é que a gente vá viver satisfeito com tudo, porque não dá mesmo. É chato acordar cedo demais, é difícil aturar o chefe e alguns familiares, o verão está cada vez mais quente. Mas, reclamar disso não torna as coisas diferentes. Então, pra quê?

No dicionário, o significado de reclamação é a ação de reclamar. Queixar-se, reivindicar um direito, um protesto. Se opor através das palavras. A reclamação nos serve quando nos sentimos injustiçados e é para isso que devemos usar.

O grande problema dos viciados em reclamar é a toxidade deles. É a capacidade de multiplicar a sua insatisfação aos que estão perto. Se não estivermos atentos, absorvemos o stress alheio a troco de nada. É epidêmico.

Não sei se existe uma fórmula para “curá-los”. É preciso que eles olhem a vida com outra lente e que percebam que as coisas só têm a proporção que a gente dá. Se dermos peso demais às questões rotineiras, a vida se torna um martírio e a gente se afunda nela.

Aos que se identificaram no texto, peço que se observem. Pelo bem dos ouvintes e em prol da convivência humana. Ainda dá tempo. Há coisas maiores para a gente protestar.

Stéphanie Waknin

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

Tem dias que tudo é saudade...


❝ .... Tem dias que tudo é saudade...

Saudades da infância, das brincadeiras no quintal da vó.


Das flores em seus vasinhos... da horta e suas - bem tratadas - hortaliças.


... Do balanço pendurado na arvore do 'abacateiro'... das galinhas no velho galinheiro.


Saudades da rua ainda de terra, de ladeira abaixo no carrinho de rolimã.


Da casa sempre cheia de gente... adultos que falavam alto... mesa farta de bolo pão de ló e café com leite.


Saudades mesmo é da vó... com seus cabelinhos brancos, do velho e desbotado avental... de suas 'broncas' por nada (por nada?).


Saudades dos aniversários tumultuados mas sempre com hora marcada.


Do entra e sai da casa... da cachorrinha que latia e seguia a todos.


Saudades da voz e da presença de cada um... saudades.


É... saudades.


Luandrade

sábado, fevereiro 11, 2017

Decoração


Com a redução dos espaços, é preciso repensar a função do mobiliário e torná-lo múltiplo 

Casa e Jardim

Bastar-se a Si Próprio


Bastar-se a si próprio, ser um todo em tudo por si mesmo e poder dizer "omnia mecum porto mea" [levo comigo tudo que tenho] é, seguramente, a qualificação mais favorável à nossa felicidade.

Daí a máxima de Aristóteles: "felicitas sibi sufficientium est" [a felicidade é dos que bastam a si mesmos (Ética a Eudemo, 7, 2)], que nunca devemos nos cansar de repetir. (No fundo, é a mesma ideia presente na sentença muito bem torneada de Chamfort, posta como epígrafe neste livro.)

Pois não se pode contar com certeza mais que consigo mesmo; ademais, as dificuldades e as desvantagens, os perigos e os inconvenientes que a sociedade traz consigo são inumeráveis e inevitáveis.

Arthur Schopenhauer

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Amizade: Espelho da alma


O ditado poderia ser: "diga-me quem são seus amigos e direi quem você é".

Minha vida é contada pelos vínculos de afeto que fui capaz de fazer, e pelos que não fui, aviso.

Frequentemente me espanto ao ouvir alguém dizer que possui muitos amigos.

Parece tão fora da minha realidade.

Possuo muitos conhecidos e, pasmem, possuo amigos que jamais conviveram comigo.

É isso: afeto não se explica.

Afinidade não se explica.

A gente vive ou não vive.

Ouso dizer que somos também contados por nossa lista de equívocos.

Você não os possui?

Pois eu sim.

Várias vezes durante a vida somos remendados por nossos equívocos.

Eles, de certa maneira, nos apresentam o avesso.

Mas, também nos levam adiante.

Afinal, até tropeção só se dá para frente.

|Cláudia Dornelles|

Te desejo


 
Eu desejo que você tenha coragem suficiente para sentir medo quando for necessário pedir ajuda. 

Eu desejo que você perceba o quão importante são os exemplos que você dá de companheirismo, generosidade e percepção da hora exata de entrar em cena, sempre que os bastidores estiverem pesados demais para você ou para mim. 

Eu desejo que você entenda que, quando tudo balança, não é mais nada além do que Deus bailando. 

E que no baile da vida contamos uma com a outra na composição dessa coreografia. 

E, que assim seja, por que “maior é Deus e pequena sou eu. 

E tudo que eu sou e que eu tenho foi Deus quem me deu.

Que assim seja para todos os meus entes queridos e amigos!

|Cláudia Dornelles|
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...