quarta-feira, maio 09, 2018

CARTA À MULHER EM CRISE




Eu sei que seus gritos acontecem em silêncio, porque você tem de parecer exatamente aquilo que esperam de você.

Imagino o quanto isso é torturante, porque já vivi fases em que eu, simplesmente, ligava o "piloto automático", para compatibilizar os interesses de todos à minha volta, exceto o meu.

A Jornada da Superação nasceu desse encontro entre a mulher que se viu em crise e a que me tornei depois dela.

Crises há muitas, mas me refiro àquela que põe a nossa cara colada no chão e asfixia até quando dormimos, se conseguimos, pois o sono, à essa altura do campeonato, já recebeu outro nome : milagre.

Diferentemente do que você pensa, há centenas de mulheres incríveis sendo absolutamente honestas com todos, menos consigo mesmas.

Você é uma delas?
Então, é com você que desejo falar, estreitar a relação e fazer da sua crise, superação.
Vem!


Alma no varal

ELA



Sai de casa cedo.
Bem cedo. Sempre é. Tem que ser.
Até o trabalho, o caminho é longo.
A paisagem insiste em ser a mesma.
Ela nem sempre deixa.
O ônibus chacoalha demais.
É gente demais.
O motorista parece viver seu próprio mundo.
Ao redor de tudo, carros e mais carros.
Para onde vai todo mundo, meu Deus? Resmunga.
Chega junto com o cansaço.
Puxa a cadeira.
A danada insiste em fazer sempre o mesmo barulho, todo dia.
Acostumou-se.
O computador já está ligado e a tela acesa.
A empresa faz isso por ela, não se pode perder tempo.
Ela sente o oposto.
À sua frente, e-mails se debatendo.
Todos diferentes, todos iguais.
Gente falando, berrando até.
Consegue ouvir.
Tudo muito sem sentido, tudo muito urgente.
Precisa ler, responder e, na medida do possível, resolver.
Antes de começar, aproveita para olhar ao seu redor.
Continuam todos lá.
Mesmos rostos nos mesmos corpos.
É quando o desconhecido lhe faz falta.
Quando percebe seu olhar querendo lhe escapar.
A culpa é do azul lá fora.
Da janela sempre fechada.
Respira fundo.
Ela não está ali.
Nunca esteve.


(Emille Kisar)

terça-feira, maio 08, 2018

O prazer não se leva


Não levaste a minha carne
mesmo que se tenha misturado com tua.
E não levaste o meu sangue
mesmo que se tenha embebido do teu.
O prazer não se leva e mal se recorda,
e nem fica no rosto como tatuagem.
Então...depois de tudo o que ficou?

- Talvez as palavras que ao ouvido te dizia.
Não as saudades da carne, mas da poesia!

João Morgado

segunda-feira, maio 07, 2018

Ou é ou não é





Ou é ou não é

Estou numa etapa da vida em que nenhum elogio é feito por mera educação.
Quando digo a alguém o quanto acho isso ou aquilo bom é porque acho mesmo.
E o contrário também é verdadeiro.
É uma etapa de pouco meio termo. Ou é ou não é.
É simples assim.
Nossa cultura desprestigia tanto a autoestima que ainda há quem duvide de si mesmo.
Excesso de confiança não tem nada a ver com a sanidade de se reconhecer em pontos fortes. Isso é fazer justiça a si mesmo.

|Cláudia Dornelles|

sábado, maio 05, 2018

Mulher...





Quanto mais uma mulher encontra a sua força,
mais ela se rende à doçura da alma
pois compreende que é no fluir, na plenitude
que as flores nascem, as abelhas colhem o mel.
as águas preenchem e se moldam
sem deixar de ser água.
Assim a mulher se rende ao caminho
na força silenciosa de quem Sabe,
pois deixa de sentir a Presença,
E passa a Ser a Presença!

MOM

sexta-feira, maio 04, 2018

Notas sobre ela






Troca o sapato alto
por livros,
adora filmes,
chora com cenas de beijo.
sorri com finais feliz,
ela é mulher madura,
mas por dentro nunca deixou de ser menina,
as vezes pinta o rosto,
passa perfume,
fica selvagem,
olha para a lua
e seus pensamentos
fazem viagem.
Outras vezes
canta na chuva
dança descalça,
faz rasgos nas calças.
Gosta de liberdade,
de correr ao vento
contra ao tempo.
Apaixonada por flores,
que as vezes lhe fazem lembrar
de alguns amores,
Mulher destemida,
não se dá por vencida.
Durante o dia trabalha,
depois da batalha
chega em casa cansada,
porém animada,
com sorriso no rosto
pois ao se deitar,
voltará a sonhar.
Ela é assim
heroína sem fim!

Sergio Fornasari

quarta-feira, maio 02, 2018

Não compare a sua vida com a dos outros.



Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. 
Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. 
E então, só aí poderás julgar. 
Cada um tem a sua própria história. 
Não compare a sua vida com a dos outros. 
Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.

Clarice Lispector
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...